Deus Existe


Os embates entre crentes e descrentes são recheados por argumentos que já se tornaram clichês de tão repetidos e saturados. Contudo, existe um que julgo o mais repetido quando um cético escreve sobre divindades, que é usado exaustivamente por crédulos: se você acredita que não existe, por que se importa em escrever sobre isso? Essa pergunta carrega em si uma série de significados, dos quais acho que valem frisar esses: de quando não se acredita na existência de alguma coisa não se pode falar sobre ela, e de que quando se fala já está dizendo-se, mesmo que de forma involuntária, que se acredita no objeto de dúvida. Se você falar em deuses, mesmo dizendo que eles não existem, o simples fato de você falar já está comprovando a existência deles. Seria realmente isso? Não, não é isso. Mas afinal, porque cargas d’águas os ateus, céticos e afins falam, escrevem tanto sobre aquilo que eles dizem não acreditar como objetos existentes? Respondo sem hesitar: escrevemos justamente porque eles existem.

Como um ateu vai escrever isso? Como um cético afirma de forma categórica que deus existe? Porque ele existe. Simples assim. O problema que se apresenta é: que tipo de existência é essa? Se ao ler a frase “Deus existe”, veio à você a idéia da existência concreta e real – o que é muito provável – eu poderia ser caracterizado como um contraditório. Mas não estou em contradição. Explico: quando afirmo a existência das divindades me refiro a uma existência metafísica, uma existência que só é tida como real no sentido de conceito. Em letras miúdas: os deuses existem, mas apenas como idéias. Somente como idéias. Se não existissem, não teríamos tantos livros que tratam desse tema, não teríamos religiões tão gigantescas e poderosas, com um poder de manipulação massificada tão intensa. É, amigos, os deuses existem. Infelizmente, a maioria assustadoramente esmagadora das pessoas acredita que essa “existência” é concreta, material, que existe sim um ser que tem plenos poderes e que pode interferir na nossa existência como bem lhe aprouver. E é disso que os ateus, céticos têm uma espécie de receio. Receio porque essa idéia chamada deus é uma idéia perniciosa, cruel, repressora; uma idéia que deve ser combatida, não de forma radical, pois ela não será exterminada. O “combate” é um combate de esclarecimento. Por isso, mas não só por isso, que muitos céticos escrevem sobre esse tema. A maior preocupação de boa parte dos ateus é como essa idéia-deus pode fazer com que a humanidade caminhe de forma canhestra, dependente de algo que não passa meramente de uma idéia. Não podemos depender de um conceito de forma tão visceral como se tem feito ultimamente (e esse “ultimamente” abarca desde a criação da mitologia como uma maneira válida de explicar os acontecimentos do mundo até essa religiosidade hipócrita moderna). Sem contar com o relevante detalhe: que é o da certeza da verdade, que essa idéia-deus imbui nas pessoas, fazendo-as crer que são portadores de uma verdade que deve ser aceita por todos, querendo eles ou não. Isso é perigoso, e isso deve ser combatido. O que devemos defender é a diversidade, seja de pensamento, seja cultural. E a idéia-deus não se preocupa com isso, não admite isso.

É por isso, amigos, que devemos nos preocupar com deus, porque ele existe e pode, através de seus “representantes” causar muito prejuízo à esse mundo.

Sobre Ricardo Silva

Sem talento para auto definições.
Esta entrada foi publicada em Ateísmo com as etiquetas . ligação permanente.

6 respostas a Deus Existe

  1. Guilherme Filho diz:

    Cara, realmente vc está convicto de que Deus não existe, usando essas palavras bonitas, cheio de argumentos científicos, filosóficos e tal, Só vou te dizer uma coisa: As religiões foram criadas por seres humanos, mas e os seres humanos foram criados por quem? (acredito que de mágica não foi, até pq mágica é truque!)
    Obs:assista depois um documentário do doutor enéas, falando sobre os cromossomos humanos,(tem no youtube, canal tveneas) e isso é so questão cientifica, nada haver com Deus ou religião, mas da pra vc ter uma noção da complexidade do ser Humano em sua forma.

  2. Luiz Motta diz:

    Quando a Ciência organiza seus conhecimentos: Anatomia, Fisiologia, Física, Química, Mecânica, Eletrônica, Matemática, Engenharia, etc. estes, não mudam seus conceitos, critérios e fenômenos observados conforme a religião e nacionalidade dos indivíduos. A Química funciona do mesmo modo para evangélicos, espíritas, católicos, budistas, chineses, americanos, etc. Os benefícios deste conhecimento são compartilhados por todos. Os fenômenos químicos são ensinados, repetidos e demonstrados em laboratórios de milhares de Escolas e Universidades no Planeta. Acreditar na existência de Deus ou não, para mim, é perda de Tempo. Mas quando mulçumanos xiitas e mulçumanos sunitas começam a se matar e Alah nâo define sua posição; quando católicos e protestantes matam-se e Cristo não interfere, etc Vejo uma discussão cada vez mais entusiasmada, aqui também, no Brasil. Pastores furiosos falando de Deuses falsos, etc. Então eu me pergunto: isto serve para que?

  3. Romario Silva da Silva diz:

    Correto, (deus existe) enquanto ideia e construção humana, e o pior intervem na realidade humana, uma vez que influencia a ação do sujeito na sociedade, graças a moralidade, é pesado falar de deus as pessoas se apavoram diante do enunciado.

  4. Genny diz:

    Ops, na primeira linha eu deveria ter escrito: “E quanto a tal de fenomenologia?”. Sorry!

  5. Genny diz:

    Haha’ E quando ao fenomenologia? O que dizer de Allan Kardec e Chico Xavier? O que dizer da idéia-deus junto com a idéia-deus-espírito? É espirituoso de sua parte esclarecer tal idéia, todavia, as lacunas da história e do Universo não podem estar entupidas de vazio e nada.
    Enfim, qual é a graça de pensar nessa inexistencialidade do Divino? Hahaha… Boa tarde!

  6. Jonathas Pereira de Souza diz:

    Excelente texto…compartilhei.

Faça seu comentário. Exponha sua opinião!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s