Sacando dos rolezinhos


Vamos dar um rolê por ai? Chamar uns amigos e ver o que está rolando de top nas vitrines massas lá do shopping da cidade? Chama os irmãos do setor que hoje vamos ostentar!

rolezinhoartigo

O (falso) discurso inclusivo da classe branca de classe média é totalmente derrubado com a reação dada aos rolezinhos. Os brancos ricos e consumidores vorazes não suportam a ideia de conviver de forma tranquila e, principalmente, normal com aqueles durante o dia são os seus empregados ou estão isolados nos “distritos sociais” longe do olhar cotidiano da classe média brasileira. Continuar a ler

Publicado em Notícias ou Atualidades | Etiquetas | 1 Comentário

O submerso mundo de Caroline Mackintosh


Caroline Mackintosh - Thigh Deep.1Quando a pele toma textura, quando a respiração prende, e o corpo submerge. A água tem o poder de nos transformar, de deixar-nos em outra dimensão de relação conosco, e com o todo que nos rodeia. A sensação de estar concentrado no seu próprio corpo e senti-lo de outra forma, é conseguir dimensionar nossa potência corporal. E a fotógrafa Caroline Mackintosh nos permite isso com a sua série fotográfica Thigh Deep. Confira: Continuar a ler

Publicado em Fotografia | Etiquetas , , , | 3 Comentários

O homem que demonstra


Homem-ChorandoMuito se tem reclamado a respeito de o quanto nos mantemos presos a velhas roupagens de pensamento, de o quanto o mundo de hoje é a apenas a sofisticação das estupidezes de ontem, de o quanto estamos apenas reforçando antigos erros. Em parte, isso tem seu lado (lados, eu diria) de razão (razões também, não?). O humano é a perpetuação da ignorância (característica essa exclusiva sua). E das várias ignorâncias tradicionais que alimentamos, uma das piores ainda é o machismo: aquilo que você nega ter, mas demonstra o contrário todos os dias.

O machismo é a representação áurea da capacidade de um gênero conseguir definir superioridade por meio da força física. Não preciso me prolongar em dizer que a origem do machismo está na força: do caçador que conseguia arrecadar mais caças, do macho alfa que conseguia matar de forma mais cruel os seus inimigos, do homem mais forte da tribo que conseguia ser o mantenedor do maior número de fêmeas. Assim se deu a base do que hoje chamamos machismo. Hoje, essa primeira característica, se mantém, com poucas ou quase nenhuma mudança. E dessa primeira característica, originou-se outro sustentáculo do machismo: a da não-demonstração de fraqueza. O que seria fraqueza pra essas mentes? Qualquer sinal de que você, homem, se assemelha ao gênero “fraco”,  mulher. Se elas não conseguem carregar peso, e você também não, fraco; se elas choram, e você também, fraco; se elas se desesperam em momentos de tensão e você também, fraco; e tantos e tantos etcs. Talvez, das bases do machismo, a não-demonstração seja uma das mais cruéis. Pois é por meio dela que você anula o que se é. Anula sua humanidade. Ou por acaso vocês ainda não perceberam que o machismo não é humano? Continuar a ler

Publicado em Coisilidades, Filosofando | Etiquetas , , , , | 1 Comentário

As religiões funcionam assim


sincretismo religioso

As religiões funcionam assim:

Quando você a critica, e expõe os seus pontos negativos e incongruentes, imediatamente os seus fiéis, percebendo a coerência das críticas (ou não), mas não querendo flexibilizar e se abrir para autocrítica (algo tão característico de seu comportamento), lança mão de todos os recursos possíveis para se defender: desqualifica o argumento (“isso que você está dizendo é um equívoco”), ofende o argumentador (“você não entendeu nada” “você é um estúpido” “você é um pecador”) ou tenta aparelhar todos os diversos grupos e/ou pessoas que a critica num bloco só, deslocando tudo pra somente um lado (claro que esse lado é o lado do mal) para conseguir se defender também de forma blocada (o clássico “como você não acredita em deus? então não acredita em nada? impossível. todo mundo tem que acreditar em algo!”). Continuar a ler

Publicado em Ateísmo, Filosofando | Etiquetas , , , | 1 Comentário

A doce frescura do pelo alheio


nandaAntes de mais nada, de qualquer coisa, de vocês pensarem que já sabem do que vou falar, quero fazer um pedido. E, por favor, se esforcem em atendê-lo:

Tirem suas roupas para ler esse texto. Nem vem, que você leu direitinho: fique pelado(a)! O texto vai ter muito mais graça se for lido assim. Espero que eu tenha leitores sensíveis e que façam essa por mim (e por vocês mesmos!)

Pressupondo que você estão peladinhos agora me lendo (que coisa bacana de se imaginar, mesmo sabendo que nenhum filho da mãe ficou nu), olhem para as suas partes pudendas (pro seu pau ou a sua buceta, caso eu não tenho me feito entender). Me diga com sinceridade agora: as suas partes estão dentro do padrão adotado como bonito? Deixa eu responder antes de você: não! Não estão! Sigamos. Continuar a ler

Publicado em Humor, Notícias ou Atualidades | Etiquetas , , , , , | 14 Comentários